Pesquisa sobre condições de trabalho nas CEAB-DJ aponta para problemas antigos, nunca resolvidos pela direção do INSS

Exemplo são as sempre presentes reivindicações para a disponibilização de capacitação e as relativas ao sistema de metas e inadequação dos sistemas, que inclusive foram objeto do movimentos das CEAP em novembro do ano passado.

Entre os dias 23 e 29 de abril o Coletivo Mudança e Renovação realizou uma pesquisa sobre as condições de trabalho nas CEAB-DJ de todo o país. O questionário, elaborado por trabalhadores da demanda judicial, foi respondido por 153 trabalhadores, lotados nas cinco superintendências regionais, e nos dá uma radiografia dos principais problemas enfrentados pelo setor.

Respondendo a respeito dos sistemas informatizados, 92,8% dos entrevistados consideram que os programas não são adequados para execução do trabalho de atendimento das demandas judiciais. Entre esses trabalhadores, há unanimidade em considerar essa inadequação torna o trabalho mais difícil, exigindo maior tempo para execução. Estes números demonstram que os problemas de infraestrutura e de instrumentos de trabalho causa ineficiência no trabalho realizado pelas CEAB-DJ.

A respeito do respeito ao fluxo de trabalho, 17,6% dos entrevistados afirmaram que, na CEAB-DJ onde trabalha, não é observado os fluxos previstos na Portaria nº 363 e na Resolução nº 496, o que significa um número elevado, considerado que são normas que deveriam ser obedecidas a fim de garantir a uniformização do trabalho. O índice, contudo, é mais elevado quando se trata de outros setores que atendem tarefas oriundas das CEAB-DJ.

Ainda neste tema, 49,7% dos entrevistados afirmaram que as CEAB e ELAB não cumprem as demandas endereçadas a elas. Como resultado, 68% dos entrevistados afirmam que, para conseguir atender as demandas judiciais, precisam executar trabalho que não são da competência sua competência legal.

A respeito das metas, 98% dos entrevistados consideram que as pontuações e o sistema de metas não estão de acordo com a complexidade do trabalho realizado nas CEAB-DJ. Como consequência, 85,6% afirmaram que a quantidade de trabalho distribuído é maior do que é possível executar em uma jornada normal de trabalho. Como esperado, 94,8% afirmam que a sobrecarga de trabalho prejudica a qualidade do serviço executado, propiciando erros, retrabalho, e impossibilidade de obedecer os fluxos de trabalho.

Outro problema levantado na pesquisa foi a realização de capacitação para trabalhar na CEAB-DJ. Sobre esse assunto, 95,4% dos entrevistados responderam que não recebeu nenhum tipo de treinamento para execução do trabalho nas CEAB-DJ. Além disso, entre os que receberam treinamento, 71,4% consideram que a capacitação foi inadequada e não forneceu os conhecimentos necessários para execução do trabalho. Esses índices evidenciam uma demanda antigo dos trabalhadores, nunca resolvida pela administração.

Além da falta de capacitação, outro problema salientado na pesquisa é a falta de orientações adequadas para execução do trabalho. Nesta questão, 77,1% dos entrevistados consideram que as orientações recebidas da chefia e da procuradoria não são claras e objetivas. Além disso, 80,4% afirmam que as dúvidas e questionamentos sobre trabalho feitos à chefia não são respondidos de forma adequada.

Todos estes problemas refletem na satisfação com o trabalho. A pesquisa aponta que 58,8% dos entrevistados não se sente satisfeito com o trabalho que é realizado nas CEAB-DJ. Além disso, 90,2% entendem que o trabalho que realizam nas CEAB-DJ não é adequadamente reconhecido pela administração, e 85% considera que a remuneração recebida é menor do que a complexidade do trabalho que executam.

Questionados sobre as demandas mais urgentes dos servidores das CEAB-DJ, mais de 85% dos entrevistados apontaram a inadequação dos sistemas e as metas injustas como muito urgente. Outros temas, como remuneração e impossibilidade de crescimento profissional, sobrecarga de trabalho, e falta de treinamento e orientações para execução do trabalho, foram apontados como muito urgente por mais de 60% dos entrevistados.

Esta pesquisa expressa, em dados concretos, a existência de problemas antigos, cuja solução já vem sendo cobrada pelos servidores do INSS de diversas áreas a muito tempo. Exemplo disso são as sempre presentes reivindicações para a disponibilização de capacitação e as relativas ao sistema de metas e inadequação dos sistemas, que inclusive foram objeto do movimentos das CEAP em novembro do ano passado.

A partir desta pesquisa, que inclusive afirma diversos pontos do requerimento disponibilizado pelos servidores das CEAB através do SEI no dia 14 de abril, estamos solicitando uma reunião com a presidência do INSS para tratar destas demandas dos servidores das CEAB-DJ. Fique atento à novas informações.