Em cima da hora, adiamento do ponto facultativo desnuda total desrespeito do governo com os servidores e com a população

Após muitos boatos, ontem o governo federal resolveu adiar o ponto facultativo alusivo ao dia do servidor público, que desde o fim do ano estava previsto para acontecer hoje, dia 28 de outubro. Conforme a nova portaria, assinada pelo Ministro Paulo Guedes e publicada na noite de ontem no Diário Oficial, o ponto facultativo deverá acontecer na próxima sexta-feira, dia 30 de outubro.

Como não podia deixar de ser, essa mudança repentina de data gerou transtornos imensuráveis nos órgãos públicos, em especial naqueles onde há atendimento ao público. No INSS, por exemplo, onde está sendo realizado apenas atendimentos mediante agendamento, o dia de trabalho neste dia 28 basicamente só servirá para reorganizar as agendas e remarcar os atendimentos que estavam previstos para o dia 30. Virou uma esculhambação, causada pelo governo federal.

O adiamento do ponto facultativo, feito da forma como foi, é um escárnio, um enorme desprezo e falta de respeito que o governo federal, em especial o Sr. Paulo Guedes, demonstram ter pelos servidores e pela população que busca os serviços públicos.

Mas não se trata apenas de desorganização ou incompetência. O ato tem claro objetivo criar um factoide para reforçar a campanha de desmoralização dos serviços públicos e dos servidores que alguns ideólogos, jornalistas e o próprio governo tem levado a cabo para justificar a aprovação de projetos como a reforma administrativa ou a anunciada privatização das unidades básicas de saúde.

Porém, o adiamento do ponto facultativo, de forma irresponsável na última hora, é uma demonstração cabal de que não são os servidores os responsáveis pelo caos e pela péssima qualidade dos serviços públicos. Os responsáveis são os governantes e os agentes que ocupam o alto escalão da administração pública. São esses governantes e agentes quem devem pagar pelos prejuízos que os seus atos e omissões vêm causando à população.

O Coletivo Mudança e Renovação vem manifestar sua consternação e repúdio contra o adiamento irresponsável e desastrado do ponto facultativo do dia do servidor, assim como contra todos os outros atos e omissões vem sendo sistematicamente implementadas pelos governantes para destruir os serviços públicos. Os servidores têm o dever funcional e moral de denunciar essas barbaridades, assim como de fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que os responsáveis pelo caos produzido paguem pelos seus atos.