INSS adia para 13 de julho a data prevista para reabertura das agências

Conforme o presidente do Instituto, a retomada do atendimento presencial à população deve obedecer protocolo e orientações do Ministério da Saúde. A data ainda poderá ser novamente revista, conforme for a evolução da crise sanitária.

Em reunião realizada hoje, 18 de junho, com a FENASPS, o presidente do INSS, Leonardo Rolim, informou que a administração alterou para 13 de julho a data prevista para a reabertura das agências ao atendimento ao público. Conforme Rolim, a reabertura nesta data será restrita aos serviços mais essenciais, como cumprimento de exigências, avaliação social e perícia médica, e deverá ser obedecido protocolo sanitário e orientações do Ministério da Saúde.

O presidente também frisou que a nova data prevista para a reabertura das agências pode ser novamente revista no futuro, caso não se verifiquem condições sanitárias para o funcionamento das unidades. Ele salientou ainda que serão consideradas as condições específicas de Estados e regiões em relação às medidas de distanciamento social. “O INSS está comprometido com a segurança e com a saúde dos servidores e dos cidadãos” afirmou Rolim.

O plano para reabertura das unidades esboçado pela gestão prevê também a adaptação das agências, a contratação de serviços de higienização e aquisição de equipamentos de proteção. Outras questões consideradas para a reabertura das agências é a contratação e capacitação dos terceirizados (em grande medida militares da reserva) e o retorno da perícia médica federal ao trabalho presencial. Conforme Rolim, não há possibilidade de reabertura das agências sem os peritos médicos, visto que eles executam uma das atividades essenciais para análise e concessão de benefícios.

A FENASPS irá realizar uma live hoje, às 16 horas, onde os diretores que participaram desta audiência irão passar os informes mais detalhados e as orientações para a categoria. Assista pelo YouTube.