CAOS NA PERÍCIA MÉDICA FEDERAL

Em 11 de julho de 2019 a Globo News divulgou uma matéria sobre “Cadeirante precisa rastejar para ser atendido em posto do INSS no Rio”, trata-se de um segurado com baixa mobilidade que compareceu a agência do INSS para realizar perícia médica, importante lembrar que desde a promulgação da lei nº 13.846, de 18 de junho de 2019 as periciais médicas para o auxílio doença, entre outras são de responsabilidade do setor de perícia médica federal vinculado diretamente ao Ministério da Economia, através da Subsecretaria da Perícia Médica Federal conforme o decreto nº 9.745, de 8 de abril de 2019. Abaixo integra na matéria.
http://g1.globo.com/globo-news/jornal-globo-news/videos/v/cadeirante-precisa-rastejar-para-ser-atendido-em-posto-do-inss-no-rio/7757974/


O caso tratado na matéria informa a falta de acessibilidade na agência, bem como a insensibilidade do setor de perícia médica federal em atender o segurado com a limitação física e conforme descreve o gerente executivo “a perícia médica prestada  nas agências do INSS e realizada pelos peritos federais que não são da nossa ingerência, então não temos acesso a forma de agendamento e toda gestão da perícia médica”, por fim a matéria qualifica a situação desumana e humilhante para o segurado.

Não obstante ao fato, circulou na mesma data nas mídias sociais a entrada de um perito médico federal nas dependências da Direção Central do INSS em Brasília, lembrando que até o presente o setor de perícia médica federal funciona no prédio da Direção Central do INSS, dizendo: “estou na presença do superintendente do INSS o qual esta me atendendo com toda polidez e urbanidade possível, colegas atende ao fato (…) eu só estou pedindo o direito de ser treinado e fazer o benefício depois de ser treinado eu estava estudando o B42 e me matriculei na lei (…) a lei complementar 142 não deu tempo, eu estou sendo aqui coagido eu disse que eu ia (…) colegas um alerta nós estamos sendo assediados, obrigados (…) colegas atente a esse fato nós estamos com um ditador como nosso chefe , atende isso colegas”, veja integra do áudio abaixo, pelo que foi apurado por esse blog a fala prejudicada do perito é devido a medicação que tomou em decorrência do seu estado de saúde abalado pelo constante assédio moral a que vem sendo submetido.

Como é de conhecimento o setor perícia médica federal anteriormente vinculada a autarquia é gerida por entidade privada que mesmo sem vinculação ao INSS mantém sua política de intervenção no INSS e ainda de difamação e calúnia á servidores do INSS, e para tanto utiliza-se de mídia sem identificação para criar factoides entre outros.

O Caos no setor de perícia médica federal já coleciona outros fatos a exemplo do já mencionado pelo sindicato do Ceará (VEJA AQUI)  denunciando o fechamento da agência do INSS/ Fortaleza Sul, a fim de centralizar o atendimento de médicos peritos federais, a situação e desumana conforme segue “O vídeo entregue ao Presidente do INSS comprova as ações desumanas aplicadas com a implantação do projeto piloto. As entrevistas confirmam que os segurados se deslocam da Região Metropolitana de Fortaleza, além de municípios mais distantes como Boa Viagem, que fica a 309 quilômetros até APS Fortaleza Sul, no bairro Edson Queiroz. No material exposto, a acompanhante do segurado acometido por um câncer e traqueostomizado relata o sofrimento em sair na madrugada de BoaViagem, em ambulância cedida pela Prefeitura, e ser transportado em uma maca.”

Os fatos em tela são dignos de indignação de qualquer cidadão e servidor público e põem a necessidade de intervenção das instituições de defesa do cidadão.

Mudança e Renovação
….